Sobre mim

Meu nome é Sérgio Manuel Marcos Taborda, sou geminiano e autor deste blog. Obrigado por ler.

Minha formação é de raiz acadêmica e científica já que me formei em Engenharia Física pela Faculdade de Ciência da Universidade de Lisboa. Física é uma disciplina excelente quando se quer aprender como o mundo funciona. Matemática, lógica, ceticismo, imaginação e criatividade são fundamentais para quem quer entender as regras do universo. Claro que, a física não responde a todas as perguntas e por isso me debruço sobre religião e suas derivações, história e política. Política não no sentido partidário do termo, mas no sentido “científico” do termo, se é que podemos usar essas duas palavras na mesma frase. Minhas atividades lúdicas sempre passaram por incentivar a lógica e a criatividade. Amante do Lego por toda minha infância até hoje (claro que agora não tenho tempo, mas continuo achando espetacular) , jogador de Xadrez e “Magic: The Gathering” amador o que eu sempre gostei mais de fazer foi criar meus próprios jogos. Claro que o melhor sempre foi inventá-los e incrementá-los, jogá-los nunca foi o objetivo.

Depois de um tempo resistindo a mexer com computadores encontrei no desenvolvimento de aplicações em Java um ofício bastante semelhante a ser físico, brincar com Lego e criar jogos. Na física podem-se conhecer as regras, mas não as podemos mudar. Criar jogos é unir regras simples de forma coerente com um certo ambiente e brincar com lego é construir e reconstruir a todo o momento. Programação não é muito diferente, temos que reunir um certo número de regras de forma coerente e remodelar o código até ter algo funcional. Ao contrário das regras da natureza estudadas na Física que não podemos mudar, estas não só as podemos mudar, como as podemos criar, destruir, reutilizar … Matemática, lógica, ceticismo, imaginação e criatividade são agora ferramentas para criar artefato que tem vida própria. Como ao criar jogos, o objetivo nunca é usar o programa, mas apenas desenhá-lo para que outros o usem, provendo a melhor experiência possível. E isso é muito divertido…às vezes frustante, mas divertido.

Anúncios

13 opiniões sobre “Sobre mim”

  1. Li seus artigos é gostei muito.
    Você foi o único que respondeu a minha pergunta no guj sobre algoritmos de otimização. Acho agora que saberá responder minha segunda pergunta (também postada no guj em 27 de março de 2008).
    Pergunta:
    Estou no último ano de Ciência da Computação e em uma inicição científica voltada para Java que precisará de importa códigos de outras linguagens. Gostaria de saber quais linguagens são possíveis de importa.
    Li um artigo na Internet que dizia: “O código gerado em MATLAB pode ser integrado a outras linguagens de programação e aplicações desenvolvidas em C, C++, Delphi, Java, Excel etc., e os seus algoritmos podem, assim, ser livremente distribuídos.”
    Como artigo lido fala que Java da suporte para importar código de MATLAB, gostaria de saber como posso fazer isso (já procurei no Google e não achei nada).
    A pessoa que me ajudar, colocarei o nome no software (em desenvolvimento usando Java) e na documentação da iniciação científica.

    Caso saiba responder, por favor, responda por email ou no guj.

    Desde já agradeço pela colaboração.

  2. eaí sérgio se tiver online me dá uma força ai
    tô precisando de uma implentação de dois padrões de projeto
    o flyeight e o state, vi que vc conhece da área, aguardo retorno
    abraço

  3. Sugiro que coloque a suas dúvidas em um fórum de discussão como o GUJ, o JavaFree ou o PortalJava, onde mais pessoas o poderão ajudar. Em um blog é complexo manter um discussão no nível de detalhes que necessita.

  4. Olá.

    Sou novo em Java e na minha empresa usa-se a estrutura para ejb de xxx..domain.ejb; e xxx..domain.interfaces; Qual a necessidade de termos esse package domain ? É algum padrão ?

    Sds

  5. Antigamente utilizava-se o nome “negocio” em vez de domínio. É na realidade uma escolha de quem escolheu a nomenclatura de pacotes. A nomenclatura de pacotes não tem muitas regras, mas desde que você defina algumas é bom que as siga sempre. Em relação a ter uma “área” do sistema chamada domínio isso é porque toda a aplicação tem um objetivo fundamentando em classes que derivam diretamente dos requisitos levantamos com o cliente. Isso é o domínio: todas as classes que contenham alguma lógica especifica do cliente/negocio. O resto do codigo é simples codigo de aplicação que serve para “colar” o dominio com o ambiente de execução (por exemplo EJB ou Servlets ou outros frameworks)

  6. Sergio, bacana seu blog! Estou no aguardo de um post sobre o padrão ‘builder’ e fluent (humane) interfaces.

    Abraço

    Gu

  7. Bem que alguma instituição poderia financiar para voce desembarcar aqui no Brasil para dar uma palestra sobre assuntos, que hoje são complexos e de dificil entendimento, tais como DDD, DSL, TDD entre outras questões de desenvovimento….. que tal a ideia !!!!

    ; )

    abraçosss

  8. Meu caro, achei seu blog hoje,. Achei sensacional, mas falta o link de RSS das postagens pra eu adicionar ao meu Reader. Que tal?

    Abraco
    Marcao

  9. Boa tarde Sérgio.

    Hoje recebi de um amigo o link para leitura de seu post – De Júnior a Sênior – onde gostei muito do mesmo.

    Por curiosidade, visitei algumas áreas de seu blog, onde percebi seu interesse pela área de Requisitos de software.

    Estou no último ano do curso de Sistemas de Informação e meu TCC está relacionado a esse assunto (Levantamento de requisitos). Teria algum conteúdo para me enviar ou até mesmo links para que eu possa pesquisar sobre o assunto.

    Agradeço a atenção.

    Parabéns pelo conteúdo do blog.

    1. Dê uma olha na secção de livros. Especialmente Software Requirement Patterns , Software Estimation: Demystifying the black art e Agile Estimating and Planning.
      O primeiro estende o conceito de padrão para requisitos. Básciamente significa que dado um requisito de certo tipo existe um padrão para requisitos relacioados. Por exemplo, requisito : “acesso com login” automáticamente vc terá “tela de login” , “troca de senha” , “envio de senha por email”, “criptografia de senha” , etc.
      Os outros são sobre planejamento e estimativas.

  10. Interessante o que você escreveu na seção “Sobre Mim”. É mais ou menos por isso que eu gosto de programar. É mais ou menos como montar Legos. Você vai construindo e encaixando as peças… Isso é interessante. Me desculpe por criticar seu post sobre o calendário e movimentação da Terra… É que sou leigo no assunto (física/astronomia) e as vezes acho que se uma coisa é escrita para pessoas que não são da mesma área que você, então elas deveriam ser escritas de forma mais didática.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s