10 Passos

Ser uma pessoa que escreve código é relativamente fácil, mas ser um bom desenvolvedor requer talento e esforço. Ser “bom” em alguma coisa , em qualquer área, sempre necessita de trabalho pessoal, empenho.
Eis a minha lista das 10 coisas em que é necessário se empenhar diariamente para ser um bom desenvolvedor.

1.Comunique

Comunicação é essencial em qualquer atividade e desenvolvimento não é diferente. Comunicar é tudo sobre fazer-se entender e ser entendido. Comunicação tem várias vertentes. Na vertente pessoal, significa dar-se bem com as pessoas, ser simpático, honesto e prestativo tanto quanto possível, sem ser chato. Significa também falar corretamente de forma que qualquer um entenda. Na vertente técnica, significa redigir textos simples e claros. Não se esconder por detrás de um jargão técnico.

Inluido aqui está também o trabalho de equipe, que se resume a isso: comunicação.

Aprenda línguas, comece pelo Português e continue até ao Inglês ou mais além.

2. Informe-se

Leia livros, artigos, todo o material que conseguir sobre um assunto. Mude de assunto quando tiver uma visão geral do assunto anterior. Não se preocupe em conhecer os detalhes até que tenha que trabalhar com isso na prática. Preocupe-se em entender os conceitos e em ter uma visão abrangente da utilidade e fundamentos do assunto.

Nem tudo o que você vai ler terá qualidade. Muito do que você vai ler será repetido. Depois de um certo ponto será dificil ler algo novo ou inovador. Isso causa um fenômeno conhecido como “main stream” (corrente principal). Estar dentro dela é dificil e sair fora é periogoso, contudo exigido. Equilibrar as coisas não é fácil. Apele para o básico sempre que tiver dúvidas.

Leia livros, paticipe de convenções, fóruns, assine revistas, etc …mantenha-se atualizado.

3.Pense

Não é possível desenvolver software sem ser lógico ou saber criar algoritmos. Não precisam ser algoritmos sofisticados, apenas precisam ser funcionais. Por lógico me refiro a ter um pensamento que possa ser seguido passo-a-passo, sem hiatos, por qualquer um. A lógica está na abastração com que se lida com o problema. Relacionado com algoritmia estão as estruturas de dados: characteres, listas , tabelas de hash, etc.. conhecer estas estruturas ajudará muito na hora de contruir o seu algoritmo.

Pense antes de agir. Estude o problema e as soluções. Sempre há mais do que uma, mesmo quando não parece existir nenhuma.

Aprenda Matemática , Lógica Booleana e Estrutuas de Dados para o ajudarem a pensar. Seja crítico relativamente à sua opinião.

Lembre-se que você nunca vai pensar em tudo. Pense em equipe para minimizar esse problema.

4. Conheça os Detalhes de Como as Coisas Funcionam

Tente conhecer o funcionamento interno das coisas. O nível de detalhe depende do seu gosto e da sua necessidade. Mas precisa entender como as tecnologias, protocolos e equipamentos funcionam para poder utilizá-los correta e eficientemente. Não acredite em magia. Acredite que há uma lógica real, criadas por humanos, dentro do funcionamento dessas coisas.

Compreendendo como as coisas funcionam pode-lhe fornecer idéias para resolver seus problemas.

Consulte a documentação para obter esclarecimentos ou mais detalhes sobre as escolhas feitas pelos autores daquilo que você está utilizando.

5.Padrões e Melhores Práticas

Existem vários padrões de desenvolvimento em diversas áreas como arquitetura, design, teste , etc… Conhecer os padrões é evoluir a sua forma de pensar e comunicar. Isso o ajudará a ter um nivel de abstração maior e a ver soluções se repetirem. Conhecer padrões ajuda a resolver problemas mais rapidamente e com menor esforço. Isto também o ajudará a entender o código escrito por outros mesmo em uma linguagem que você não domine, ajudará a ter uma melhor visão do software construído ou que vai construir.

Esforce-se para seguir as melhores práticas. Tenha dúvidas sobre o que está fazendo e compare com o que o resto está fazendo. Aprenda a reconhecer o que está fazendo errado e como fazer da melhor forma possível.

Quando em duvida siga padrões. Quanto mais internacionalmente aceites, melhor. Mas cuidado, alguns podem ser limitativos. Aprenda a construir o seu padrão em cima de outros sem violar a utilidade ou incluir coisas demasiados específicas.

6. Solicite Revisões

Seja humilde e saiba aceitar quando o seu trabalho é de má qualidade. Submeta o seu trabalho à opinião dos outros, mas assegure-se que a opinião é imparcial (por exemplo, se mostrar sua aplicação ao seu amigo, não diga que foi você que vez, diga que foi uma outra pessoa da empresa). Saiba evoluir e aprender. Não tente convencer ninguém que o erro não é seu. Mediocridade é inaceitável, mas ninguém nasce ensinado. Aprenda com o seus erros. Seja humilde e honesto consigo e com os outros.

Se alguém lhe diz que algo é errado, aceite naquele momento. Se tiver dúvidas, informe-se melhor, mas não despreze o que lhe disseram. “Quem avisa amigo é”: tenha consideração por quem o avisa dos seus erros, pois não o avisar seria muito pior. Tente ajudar os outros da mesma forma, mas não seja arrogante.

7. Conheca as suas Ferramentas

Utilize ferramentas que o ajudam, não as que o atrapalham. Boas ferramentas diminuem o esforço, não o aumentam. Ferramentas evoluem, troque de ferramenta conforme. Não caia na besteira de querer fazer tudo no braço.

Linguagens de programação, IDE, editores de texto, tudo isso são ferramentas. Use a mais apropriada. Não existe uma ferramenta que resolva tudo. Faça alguns testes se necessário. Saiba como a ferramenta funciona.

Explore novas ferramentas no seu tempo livre antes de as utilizar profissionalmente. Isso lhe dá mais liberdade de experimentar e de as abandonar quando quiser.

8. Conheça o Paradigma

Se você trabalha com linguagens, ferramentas ou metodologias associadas a um certo paradigma de desenvolvimento – orientação a objetos, por exemplo – conheça o paradigma. Todo o resto é inutil se você não entende o mundo em que está inserido.

Discuta com outras pessoas sobre o paradigma que está utilizando e tente explorar todas as capacidades que ele lhe oferece.

Certificações podem ajudá-lo a conhecer melhor o paradigma, mas não devem ser encaradas como títulos de omni-sapiência (informe-se, solicite revisões).

9. Pratique

Na teoria tudo é muito bonito e parece funcionar perfeitamente. É na prática que uma ferramenta, conceito, idéia, dica , etc… realmente funciona ou não. Por isso pratique. Pratique bastante. Tente escrever programas completos, mesmo se começar pelo básico. Se tiver problemas em encontrar um programa completo que fazer, participe de algum projeto open source. É também uma ótima forma de aprender.

Tente colocar em prática tudo o que sabe e aprendeu. Isso irá melhorar o seu entendimento daquilo que sabe e até lhe ensinará formas melhores de fazer as coisas.

10. Desafie-se

Nada é perfeito e ser um bom desenvolvedor é uma tarefa árdua e que requer tempo. Mesmo seguindo orientações as coisas não acontecem do dia para a noite. Portanto, não desista, saiba que é um processo em andamento, contínuo. E quando achar que domina o que sabe, desafie-se a aprender algo novo.

1 thought on “10 Passos”

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s